Projetos elétricos e de Para-raios para condomínios: Entenda a importância

Desde o ano de 2013 os acidentes com origem elétrica vêm crescendo gradativamente.


Segundo os estudos da Abra Copel no ano de 2017 ocorreram 451 incêndios por curtos-circuitos em todo o Brasil e o número de mortes em 2017 por acidentes com eletricidade chega a 702. Só no estado de São Paulo foram 62 incêndios que causaram mortes, dentre eles podemos citar o caso do Museu da Língua Portuguesa (SP), o Museu Nacional do Brasil (RJ), a Catedral de Notre-Dame (FR) e o Edifício Wilton Paes de Almeida (LG do Paissandu).


As principais causas dos incêndios são atribuídas ao excesso de equipamentos em uma mesma tomada, instalações elétricas antigas, falta de manutenção das instalações ou novos equipamentos eletrônicos com maior consumo.



Quando tratamos de acidentes com descargas atmosféricas, segundo o Elat (Grupo de Eletricidade Atmosférica), o Brasil é o lugar onde mais pessoas morrem devido a acidentes com raios. Uma média de 110 a 130 mortes por ano. Dados do INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) apontam que entre os anos de 2000 e 2017 tivemos por volta de 2.044 mortes por descargas, e cerca de 370 mortes acontecerem dentro de casas e apartamentos. Por razões geográficas, o País é, também, campeão mundial em incidência de raios com aproximadamente 77,8 milhões de descargas por ano.


Entre as principais consequências atribuídas a queda de um raio podemos destacar:

1. Choque elétrico em pessoas e animais enquanto utilizam equipamentos eletrônicos ligados a tomadas, como secador de cabelos, celulares no carregador, aparelhos de telefone fixo em uso, entre outros.

2. Queima de equipamentos como placa do elevador, portões elétricos, câmeras de segurança, eletrônicos e eletrodomésticos ligados na tomada no momento da descarga;

3. Danos a estrutura da edificação: sem um isolamento correto, um raio poderia romper, com uma explosão, a alvenaria do prédio, derrubando uma parte da estrutura.


Para que se diminua ou até mesmo elimine os riscos de acidentes devido as instalações elétricas e de descarga atmosféricas é de extrema importância manter as manutenções anuais e as instalações atualizadas.


Quando as edificações possuem projetos de instalações elétricas e para raio, predefinidos, que respeitem as normas, é possível diminuir consideravelmente os riscos de acidentes e auxiliar as manutenções periódicas.


O projeto elétrico e de para raios normalmente abrange um levantamento de todos os equipamentos, planta da edificação, com a localização e identificação dos pontos de tomadas e interruptores, quadros elétricos, dimensionamento de cabos a serem utilizados na instalação (fases, neutro, terra), sistema de captação dos raios na cobertura, instalação de descidas pela estrutura para o caminho que o raio tem que percorrer e aterramento para escoamento do raio;


Com ele, você terá a certeza de que poderá utilizar de forma segura todos os equipamentos elétricos e eletrônicos da sua casa sem medo de que ocorra algum problema com sua rede elétrica.


Os profissionais que oferecem o projeto elétrico residencial garantem aos futuros moradores a qualidade e segurança de manterem a residência estável e com locais pontuais que poderão ser alvo de instalações e alterações futuras.


Theresa Gabriela Pardi Walderrama Valduga

Engenheira eletricista e de segurança do trabalho.

Instrutora do Senai.

53 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo